Quinta Edição: "Aprendendo com a infância/com as crianças"

Hands-(4).jpg  
Editorial
Lic. Liliana Pedrón Martín,  19 julho de 2018

'Aprendendo com a infância/com as crianças' anuncia uma temática inerente à psicanálise e convida o leitor a relembrar a literatura psicanalítica sobre o tema.  Mais.
 
Como os analisandos usam a repetição à serviço da transformação? Este ensaio busca explorar, por meio da obra de Paul Cézanne, a relevância clínica do uso de lentes multidisciplinares.
A partir da análise de adultos, Freud nos ensinou a conhecer a vasta extensão do inconsciente humano. Entretanto, ele nunca tratou de crianças.
Sra. Patrícia Bohrer Pereira Leite
Por nossos jovens poetas
As crianças nos ensinam de forma espetacular que somos todos poetas em essência e que “poemar” é crucial à nossa saúde psíquica.
Um exame dos conflitos que existem na mente dos pacientes com transtornos alimentares durante suas psicoterapias psicanalíticas.
Uma criança oferece um olhar direto para seu mundo interno a um psicanalista, que é, ele mesmo, uma antiga criança que ainda carrega esse status em seu universo representacional.
Ps. Eugenia Valdes
Aprendendo da infância
As primeiras fantasias deixam traços que continuam a agir ao longo da vida e moldam o caráter, a experiência e os mecanismos de defesa de uma pessoa.
Dr med. Jean-Philippe Dubois
Uma criança nos fala
Com a criança, o analista adulto será levado a traduzir em palavras bem simples as operações, frequentemente imaginárias, que atuam no material das sessões.
 
ÚLTIMOS ARTIGOS DE 30 DIAS
 
 
Dr. João Seabra Diniz
Silêncio e Intimidade
Psic. Andrea Paola Escobar Altare
As formas de Ítaca
Lic. Psych. Ana Paula Terra Machado
Violência: Hiância da Palavra
 
Videos

 
 
Chamada de trabalhos!
 

Chamada para Contribuições sobre "Fragmentação e crise"

Fragmentação e crise : reflexões psicanalíticas.

A próxima edição de Psychoanalysis.Today terá como tema  "Fragmentação e crise"

Convidamos você a enviar sua contribuição para esta discussão. Você pode escolher entre uma variedade de formatos: textos (até 1000 palavras), filmes (até 10 minutos), imagens, desenhos animados ou entrevistas relacionados com este tema. Receberemos contribuições ligadas à teoria psicanalítica, ao trabalho ou às experiências clínicas.

As contribuições serão examinadas pelo corpo editorial com base em seu conteúdo, interesse, clareza e criatividade. A comissão editorial decidirá sobre a publicação.

 

Dr. Daniel Alfredo Biebel (Chair)
Psic. Marina Kon Bilenky
Dipl. Psych. Ursula Burkert (Chair)
Dr. Helen Fronshtein
Dr. Adrienne E. Harris
Mme Isabelle Lafarge
Lic. Liliana Pedrón Martín
Ms. Gouri Salvi